Correr é para todos. Maratona não!

Segundo St. Pierre, em um corredor que tem um pace médio entre 3:45 e 2:30 min/km, a sua cadência pode variar entre 190 e 210 ppm. Já segundo Lieberman, dependendo de como o pé aterriza no solo a cada passo (antepé ou retropé), a força de reação do solo (FRS) pode variar entre 1,5 aContinuar lendo “Correr é para todos. Maratona não!”

Um passo de cada vez

Só somos bípedes, caminhamos e corremos sobres esses dois pés graças a adaptações evolutivas que se iniciaram há cerca de 4 milhões de anos. Dentre as mais importantes, membros inferiores mais longos, rotação medial do eixo do fêmur, flexão dos joelhos, movimento pendular dos membros inferiores com mudança de centro de rotação, grandes e chatosContinuar lendo “Um passo de cada vez”

Doping por vaidade

Para quem não sabe a Eritropoietina ou EPO, também conhecida por hemopoetina é produzida por fibroblastos intersticiais nos rins e em células perisinusoidais no fígado, predominando a produção renal durante a idade adulta. A EPO é responsável por controlar a produção de glóbulos vermelhos, garantindo o transporte de oxigênio para as células do corpo. AContinuar lendo “Doping por vaidade”

Re.si.li.ên.ci.a

Substantivo feminino. Do latim resilientĭa, resilīre (saltar para trás, recusar vivamente). Capacidade de resistência de um material ao choque que é medida pela energia necessária para produzir fratura em um material com dimensões determinadas. Energia potencial acumulada por unidade de volume em uma substância elástica, quando deformada. Capacidade de defesa e recuperação perante fatores ou condições adversas. MinhaContinuar lendo “Re.si.li.ên.ci.a”

Percepção Subjetiva de Esforço

A Percepção Subjetiva de Esforço – PSE, tem como objetivo medir a intensidade do esforço realizado no exercício atribuindo valores quantitativos baseados no ritmo e na profundidade da Frequência Ventilatória – FV ou “Frequência Respiratória”, bem como na Capacidade de Verbalizar – CV durante o estímulo ou logo após o mesmo. Essa metodologia fornece umContinuar lendo “Percepção Subjetiva de Esforço”

Minha primeira prova de trailrunning

Escolhi debutar no trailrunning participando dos 50km do XC Itaipava categoria solo. Estudei muito sobre como é a elaboração de um programa de treinamento voltado para ultra distâncias e corridas de montanha, e, junto com a minha nutricionista, definimos um plano alimentar e a estratégia de hidratação e suplementação para o período preparatório e paraContinuar lendo “Minha primeira prova de trailrunning”

+7.805m

7.805m. Essa é a diferença entre a distância de uma maratona para a distância da primeira ultra que pretendo participar. A partir de hoje você terá a oportunidade de acompanhar minhas sessões de treino e tudo o que me aflige na preparação final para os 50km da XC Itaipava. DIA 01: Treino: 2X 5km progressivoContinuar lendo “+7.805m”

Um programa para cada um

Costumamos seguir o exemplo. Não existe nenhum mal nisso, quando o tal exemplo é positivo e nos torna melhores indivíduos. Infelizmente, quando se trata de exercício físico, tende-se a imitar o exemplo, sem se saber o porque. Um dos princípios mais fundamentais do treinamento esportivo é o da individualidade biológica. Ou seja, cada um éContinuar lendo “Um programa para cada um”

Experiência dos 10k

Depoimento de Andressa Oriza No dia 08 de março de 2016 eu completei mais um ano de vida. Naquela semana, eu percebi que estava completando mais um ano de cigarro, mais um ano de vida noturna intensa, mais um ano de sedentarismo e mais um ano de descaso com a minha saúde. Eu me sentia muitoContinuar lendo “Experiência dos 10k”

Canelite

A Síndrome do Estresse Tibial Medial – SETM, vulgarmente conhecida como ‘canelite’, é uma lesão típica por overuse, que acomete cerca de 14% dos corredores. Consiste de uma inflamação da tíbia, dos tendões e/ou músculos que se encontram adjacentes a esse osso, podendo evoluir para uma fratura por estresse. Existem evidências que seu surgimento éContinuar lendo “Canelite”