Treino de corrida: o som da sua passada…

No primeiro dia de 2013, Matt Fitzgerald, colunista da Triathlete Europe, publicou um artigo citando a pesquisa desenvolvida pela diretora do Spaulding National Running Center, Irene Davis, uma das pioneiras no estudo sobre aspectos biomecânicos da corrida.

Seu trabalho consiste em estimular mudanças específicas na mecânica da corrida que corrijam características associadas a elevados riscos de lesão.

Durante o estudo, utilizou acelerômetros em cada uma das pernas de dez corredores para medir a aceleração tibial enquanto corriam na esteira.

A informação coletada pelos acelerômetros era transmitida para uma tela posicionada em frente aos corredores, permitindo que vissem um gráfico simples sobre o impacto de cada passada e baseados nos dados do gráfico, eram estimulados a buscar, livremente, um modo mais confortável possível para reduzir o impacto de cada passo.

O que todos os dez corredores conseguiram, cada um a seu modo.

A partir daí foram orientados a tentar manter essa nova forma de correr durante seus treinos regulares e após um mês retornaram para nova avaliação.

Resultado: todos reduziram dramaticamente o impacto durante suas passadas.

Davis acredita numa solução encontre você mesmo ao invés de sugerir, ela mesmo, as mudanças a serem feitas na biomecânica da corrida de cada um dos avaliados.

Como isso seria possível sem os recursos de um laboratório de biomecânica? Simples, ouça o som das suas passadas e tente correr o mais silenciosamente possível de forma confortável.

Quer ler o artigo da revista na íntegra? Leia a versão do artigo em inglês aqui.

Bons treinos e divirta-se!

Qualidade de vida em bem-estar

A busca pela melhora da qualidade de vida e do bem-estar envolve três fatores: físico, mental e emocional.

Não devemos temer nosso médico. Exames e avaliações clínicas somados ao check-up bucal devem fazer parte de nossa rotina anual e a medida que envelhecemos esta bateria tende a crescer em número.

Quando associados, uma dieta rica e equilibrada e a prática de exercícios físicos regularmente, respeitando-se o princípio da individualidade biológica e sob a orientação de profissionais especializados elevam nosso padrão de bem-estar.

Assim como nosso corpo, nosso cérebro também precisa ser exercitado através de jogos mentais e práticas fora do nosso cotidiano.

Nossa mente deve ser estimulada a agir tanto de modo divergente quanto convergente, trabalhando a criatividade e o raciocínio lógico.

Por fim, devemos nos manter emocionalmente equilibrados para lidar com o estresse decorrente de nossas atividades diárias, seja ele positivo ou não.

Expor nossas emoções de modo criativo através de intervenções artísticas, lúdicas, esportivas… Sermos capazes de baixar a guarda, nossos muros e barreiras, libertando-nos daquilo que mais nos aprisiona do que protege.

Check-up clínico, exercícios físicos, dieta rica e variada, jogos mentais, equlíbrio emocional nos permitirão atingir um novo patamar de qualidade de vida e bem-estar.

Se daí vamos viver mais eu não sei. Mas que viveremos melhor, viveremos.

Bons treinos e divirta-se!

%d blogueiros gostam disto: